Cash em 8 bits

Lembra das músicas que rolavam nos videogames antigos, como Nintendo e Master System? Conhecida como Chip Music, essas músicas contavam com apenas quatro canais de áudio.

A novidade é que, atualmente, é possível samplear vários destes saudosos timbres em computadores e sintetizadores e, assim, criar novas músicas em 8 bits. É aí que Johnny Cash entra na história.

O DJ britânico Bullwack resolveu transformar algumas músicas famosas em Chip Music. Após algumas experiências com o Radiohead, agora chegou a vez do Man in Black. A faixa escolhida foi “Hurt”, originalmente gravada pela banda Nine Inch Nails.

Apesar de ser uma brincadeira, achei bem legal o resultado. Já pensou se fosse possível jogar Super Mario Bros, com uma música do Homem de Preto ao fundo? rs

Johnny Cash – Hurt (8 bits version)

Anúncios

A última entrevista de Cash

Em 25 de julho de 2003, depois de receber seis indicações para o MTV Music Awards, Johnny Cash conversou com Lev Grossman, da famosa revista Time. O assunto principal era a gravação de “Hurt”, que fazia um enorme sucesso em todo o mundo. Essa foi também a última entrevista oficial de Cash. Ele faleceu poucos meses depois.

Por que você escolheu gravar “Hurt”?
Foi ideia do Rick Rubin (produtor). Nós estávamos em busca de uma canção que causasse um grande impacto. Aí, ele me perguntou o que eu achava de “Hurt”. Eu disse: “Eu acho que é provavelmente a melhor canção antidrogas que eu já ouvi, mas eu não acho que é para mim. Não é meu estilo, não é a maneira que eu faço.” E ele disse: “E se fosse?” E eu disse: “Bem, eu poderia tentar” Então eu saí e gravei. Quando eu escutei o resultado, senti que tinha dado tudo certo.

Como você conseguiu transformar um metal-industrial do Nine Inch Nails em uma grande canção de Johnny Cash?
Não foi fácil não. A minha ideia era cantar quantas vezes fosse necessário até que eu sentisse que estava fazendo isso com sentimento. Eu provavelmente cantei essa música 100 vezes antes de gravá-la.

Fez sentir como se você a tivesse escrito?
É uma música que eu gostaria de ter escrito. Se voltarmos aos anos 60, eu acho que eu poderia ter escrito algo assim.

Você pensa em rock e country como duas coisas diferentes?
Não! Eu nunca poderia pensar nisso. Eu realmente estou tentando provar que não existem categorias que você tem que ficar. É possível diversificar.

Você pensa em si mesmo como um artista cristão?
Eu sou um artista que também é um cristão. E não um “artista cristão”.

O Homem de Preto é o que realmente você é?
Eu vestia roupas pretas, quase desde o início. Sempre me senti confortável. Então, em 1969, eu escrevi uma canção chamada “Man in Black”, no qual aponto que há um monte de coisas erradas no nosso país, um monte de hipocrisias, a Guerra do Vietnã, tudo isso. E eu, como protesto, iria continuar meu “luto”. Depois disso, o rótulo de Homem de Preto pegou de vez!

Você se sente pessimista sobre a maneira como as coisas estão indo nos EUA?
Eu só queria que … Gostaria que …. hummm. Melhor não entrar nisso, Lev.

No que você está trabalhando agora?
Quando minha esposa morreu, me tranquei no estúdio só para trabalhar, para me ocupar. Então eu comecei a gravar todas essas coisas que eu encontrei, músicas que as pessoas me enviaram e etc. É isso que eu vou estar fazendo por um bom tempo.

Leia também a primeira entrevista de Johnny Cash que nós traduzimos.